Velha amiga

 

Desejei alcançar as estrelas, invadir o infinito, voar…

Desejei me entregar ao vento, ao mar, e a noite.

Quis refazer minhas idéias, não pensar por alguns instantes, esquecer e quem sabe, acabar com essa dor. Destilar minha alma e me esconder dos olhares.

Olhei sem demora para o caminho tomado,  para as tragédias, para os desafios, quis desfalecer, esquecer, sumir.

Mas então, olhei em teus olhos e percebi que poderia seguir, que poderia vencer.

Você me fez lembrar que a dor faz parte de mim e da minha alma, que pode doer, sangrar, mas que vai passar.Então, aos poucos pude abraçá-la e recebê-la como deveria ser recebida.

A morte veio tão sorrateira. Abracei também, essa não poderia me esquecer, pois é uma velha amiga, que nos acompanha e que um dia virá para nos tomar pelos braços.  Ela certamente sorriu para mim, e eu apenas contemplei a vi, levantando lentamente e levando uma parte de mim.

Jamais vou esquecer teus olhos, jamais esquecerei teus abraços. Velha amiga, não sinto sua falta, tu me levou muito, mas espero pelo teu retorno, um dia iremos nos encontrar e  por  por fim, poderei viver em paz.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s