O Beijo

primeiro beijo

Foi em uma manhã de verão que eu pude experimentar pela primeira vez…

Não sabia ao certo que seria naquele dia que iria acontecer, eu suspeitava pelo menos, pois já fazia uma semana que estávamos juntos e ainda não havia acontecido.

Era domingo e chovia, fui visitá-lo como tínhamos combinado. Pelo rosto meio inchado, fazia pouco tempo que ele tinha acordado. Sem cerimônia, me puxou pela mão e me levou na área de sua casa, encostou em uma moto que estava estacionada e, abraçando-me, disse: “Acho que mereço uma recompensa por esta semana inteira de trabalho, você não acha?” (passamos a semana juntos organizando uma festa de aniversário). Naquele momento, eu soube que ele me beijaria. Tremi. Meu coração começou a bater tão forte que eu temia que ele pudesse ouvir, minhas pernas estavam tão bambas que eu sabia que, a qualquer momento, elas iam falhar… Minha boca ficou seca e eu congelei, ele abraçou minha cintura e me puxou para mais perto. Senti-me envolvida e um calor deixou meu coração em chamas. Ele fechou os olhos, se aproximou e acariciou meus lábios com movimentos suaves e, naquele momento, eu senti um friozinho na barriga e “borboletas voavam” em meu estômago.

Esqueci-me que eu nunca havia beijado, foi quando aconteceu. Senti seus lábios molhados cada vez mais conduzindo os meus e, de repente, eu estrago tudo. Em um movimento mal feito da minha parte, os meus dentes bateram nos dele… Sim! Deu choque!!! Nós dois murmuramos um gemido de dor e, com a mão na boca, nos olhamos e sorrimos. Ele me olhou tão apaixonadamente e me disse: “Quero fazer isso direito, você tem os lábios mais lindos que já beijei, eu os quero agora…”. E, fechando os olhos, ele repousou seus lábios nos meus e eu apenas me entreguei… Meu primeiro beijo foi apaixonado, é claro que eu não sabia o que estava fazendo, apenas me deixei levar. Ele roçava levemente seus lábios nos meus, tocava-os com doçura e destreza, sem pressa, como quem prova a primeira vez de algo tão gostoso que degusta devagar para saborear.

Meu coração era um tambor sem fim e uma avalanche de sentimentos me cobria, era vergonha, era medo, amor, ternura… eu deixei minhas mãos escorregarem para seu pescoço e o senti arrepiar. Relaxei e sorri para mim mesmo. Lembro-me que foi longo o suficiente para me deixar encantada e curto o suficiente para me deixar com saudade. E, sinceramente, aquele momento parou, gozava dele de tal forma que eu o queria registrado na memória. Não queria jamais me esquecer dos detalhes daquele dia, afinal foi meu primeiro beijo e era com alguém que eu dizia amar… E eu o amava!

Sei que, geralmente, o primeiro beijo das pessoas não é tão bom assim, pois elas não beijam realmente a pessoa por quem elas estão apaixonadas, elas beijam logo porque querem beijar só por isso, não aproveitam o momento, nem a pessoa. Eu tive meu primeiro beijo com dezessete anos e me orgulho de dizer isso, pois eu esperei e foi com quem eu estava apaixonada naquele momento. Para mim, foi mágico. Conversando com alguns amigos, descobri que a maioria deu seu primeiro beijo em brincadeiras de crianças e, em alguns casos, se tornaram traumatizantes. Outras beijaram porque todos da sua turminha já tinham beijado na boca menos ele(a) e ele(a) se sentiu no dever de beijar também para se tornar descolado(a). Para você que está nesta situação eu te digo, espere! Espere seu primeiro beijo chegar com uma paixão, faça isso com quem você goste, é um momento especial, faz parte de sua vida e de suas lembranças.

Aprendi, a passos curtos, que nós temos que embelezar nossa vida. Sim, torná-la mais apresentável para nós mesmos. Então comece tentando criar coisas bonitas para ela. Tudo o que fazemos a primeira vez fica registrado, como bom ou ruim, então faça o possível para que as primeiras vezes de tudo seja algo bonito que você lembre com carinho. E o que não for bonito tente sempre ter como aprendizado!

A vida é uma escola. Aprenda!!!

Eliane Santos

Esse post foi publicado em Contos. Bookmark o link permanente.

3 respostas para O Beijo

  1. Cris Menezes disse:

    Lili, seu blog está lindo! Você escreve muito bem. Seus textos são muitos românticos e tem uma sensibilidade que pula da tela. rsrs Amei este texto. Lembrei da minha adolescência. Você já tem seu estilo, seu jeito de lidar com as palavras, tem alma de artista, agora, desejo que não pare de escrever. Escreva! Desejo sorte com o blog. Parabéns!!!! bjs

    Curtir

    • elyssantis disse:

      Cris, é uma honra receber um carinho seu. Ainda mais vindo de você que é tão
      amate das palavras e tão culta!
      Te agradeço muito, muito mesmo!
      Sou sua fã! É através dos seus posts que eu sei qual próximo livro que vou ler… E já tem um especial na minha
      lista: de Clarice…Ah Clarice…mulher cheia de palavras que entorpecem nossa alma…
      Você é assim…faz a gente se apaixonar ainda mais pelos poetas…

      Curtir

      • Cris Menezes disse:

        Obrigada pelo carinho, Lili. Sugiro começar ler Clarice pelos livros de contos, depois os romances. Você vai adorar. Estou me surpreendendo com seus textos. Eu os vejo reunidos em um livro!!!rsrsrs

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s