Velha amiga

 

Desejei alcançar as estrelas, invadir o infinito, voar…

Desejei me entregar ao vento, ao mar, e a noite.

Quis refazer minhas idéias, não pensar por alguns instantes, esquecer e quem sabe, acabar com essa dor. Destilar minha alma e me esconder dos olhares.

Olhei sem demora para o caminho tomado,  para as tragédias, para os desafios, quis desfalecer, esquecer, sumir.

Mas então, olhei em teus olhos e percebi que poderia seguir, que poderia vencer.

Você me fez lembrar que a dor faz parte de mim e da minha alma, que pode doer, sangrar, mas que vai passar.Então, aos poucos pude abraçá-la e recebê-la como deveria ser recebida.

A morte veio tão sorrateira. Abracei também, essa não poderia me esquecer, pois é uma velha amiga, que nos acompanha e que um dia virá para nos tomar pelos braços.  Ela certamente sorriu para mim, e eu apenas contemplei a vi, levantando lentamente e levando uma parte de mim.

Jamais vou esquecer teus olhos, jamais esquecerei teus abraços. Velha amiga, não sinto sua falta, tu me levou muito, mas espero pelo teu retorno, um dia iremos nos encontrar e  por  por fim, poderei viver em paz.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

A saudade tem destas coisas

winter-163815_960_720

Lembro-me de ver-te partir, sem malas, sem sonhos, sem o amor que te dei.

O vestido balançava ao vento, as mãos seguravam as lágrimas. Tinha naquele momento apenas  o sopro quente abafado das locomotivas do trem, como uma canção de despedida. Por entre meus dedos um lenço voava , e um amor partia.

O dia estava mais lindo que nunca, as flores pareciam cantar, pareciam te seguir e eu as odiava naquela tarde. O que não é natural pois em outras tardes eu as beijava e as colhiam para um café com biscoitos amanteigas.

Mas hoje, só via chuva em um dia ensolarado, só via trevas nos mais claros raios de sol. E a neve que caia e o frio maldoso que me consumia.

Pois foi o amor, que partiu sem aviso prévio, que saiu e não apagou a luz, que tomou o café e seu cheiro ainda ficou…

Te deixei ir, por fim, só o que sobrou foi um sorriso seu, e as amélias a beira dos passeios quebrados, as janelas abertas e seu violão desafinado.

 

Publicado em Contos | Deixe um comentário

Quem é você?

person-1169810_960_720

O que te define?

São as escolhas, o modo que olha para a vida? Suas Roupas, ou seus sapatos?

Teus erros e acertos? Ou a louca vontade de viver?

Olhar para o céu vez em quando,  pode dizer muito de nós.

Estender a mão para as paixões, para os amores, até mesmo para a chuva que cai, pode traduzir quem realmente somos.

Utilizar meios para fugir de quem somos nada mais é que mentir para si mesmo, e sim, essa é a pior mentira.

E viver com alguém que te  traduz de uma forma que não é você, é mentir duas vezes e fugir daquela pessoa maravilhosa que você é!

Abraçar essa criança que vive encolhida e mostrar para o mundo que ela vive, é com certeza mostrar quem és, pois dentro de cada um de nós há um pequeno ser escondido, encolhido pelas criticas do mundo, cheio de vontade de sair e fazer coisas fantásticas!

Feche os olhos e olhe para dentro de você, acredite, pode ver coisas e se surpreender.

Mostre aquilo que acha feio e tanta esconder, talvez isso seja o melhor de você!

O conceito do belo e do feio depende do ponto de vista, e quem define isso é você, deixe que os outros sejam “os outros”, e seja mais você.

Olhe para o espelho e descubra quem realmente você é! Com seus defeitos, erros e acertos, suas dúvidas, inseguranças e medos. Talvez descubra coisas formidáveis, que nunca soube de si mesma….

Publicado em Poesia, Sem categoria | Deixe um comentário

Por fim, o fim…

Então, chegamos a mais um ano concluído. Sem pendências para 2016 deixo apenas a ficção das palavras em 2015. Faço guerra com minha imagem no espelho e me despeço com um beijo rosa.

Posso dizer que este ano vivi de uma forma que me permiti perdoar ao extremo e amar devagar e sem pressa, assim experimento das virtudes  que o simples fato de amar pode nos proporcionar.

Joguei fora um  “chinelo velho” castiguei as lembranças e roubei meu presente. Realizei coisas que jamais pensei em realizar, soltei a voz e dormir sobre as estrelas. Finalmente tomei aquela xícara de chá com o frio de julho.

Me despedi de pessoas que infelizmente não fazia mais sentido permanecer em meus contatos ou em minhas lembranças.   Subi o mais alto que pude, mesmo tendo medo de altura. Dancei na chuva e me banhei de sol.

Esqueci das lembranças que a chuva me trás. Roubei flores para enfeitar minha janela. Pintei as paredes da minha casa com cores que me fazem sonhar.

Enfim, me permiti sonhar, realizar, amar, experimentar e principalmente: viver!

E você? O que fez em 2015? E o que pretende para 2016?

Que tenhamos mais manhãs de céu claro e cantos de pássaros!

 

Que venha 2016!

Publicado em Sem categoria | 1 Comentário

Pensamentos em uma noite fria.

A possível entrada de uma nova mudança pode começar com um simples gestos de querer que esta mudança se torne realidade.

As vezes não é só pensar positivo para as coisas darem certos, é preciso dar passos significativos para que as vontade se realizem.

Em um determinado momento esquecemos quem somos para que outras pessoas possam se lembrar quem elas são.

As virtudes de um homem não estão nas palavras cheias de charme e sedução, mas sim em seus atos respeitosos diante de uma dama formosa.

Um minimo pensamento em Deus é uma oração que pode mover montanhas. Imagine pensar em Deus vinte quatro horas.

As certezas que temos das pessoas são falhas, pois elas são inconstantes e seu coração insano.

“Se esta rua fosse minha eu mandava ladrilhar com pedrinhas de brilhante para o meu amor passar…”

Queria guardar o céu dentro do meu quarto para poder colher estrelas todos os dias e plantar luas em meu jardim.

A saudade é algo que meu coração nunca entenderá, pois é uma dor gostosa e uma dor ruim.

O amor nada mais é, que você e eu.

Quis te encontrar para podermos sonhar, pois os sonhos só se tornam realidade quando sonhamos juntos.

“Nesta rua tem um bosque, que se chama solidão. Dentro dele mora um anjo, que roubou meu coração…”

“Maezinha do céu, eu não sei rezar, eu só sei dizer que eu quero te amar…”

Eliane Santos.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Coisas pra inspirar….

Flores amarelas.

Beijos na chuva.

Castelos de areia. Balões no céu, mar em mar, astronauta, luas em manhãs…

Cestos de frutas, casinhas de palha, canções poetas, lápis de cor.

Chá de hortelã em noites frias com Lenine.

Paris pra sonhar. Andar de bicicleta de braços abertos.

Nascer do sol. Manhãs na fazenda.

Chá de Jasmim em manhãs tristes. Lágrimas pra acompanhar.

Balões de ar pra morar no céu.

Saudades do mar. Sorvestes no frio. Coisas de inverno.

Chuvas no verão. Primaveras sem flores.

Leite com canela e um menino tristonho.

Outonos sem frio. Rosas vermelhas no inverno.

Abraços na chuva, Correr no mar. Dançar sem música, Orações de olhos fechados.

Abraços.

Capuccino e um amigo.

Chocolates e você. Torta de amora.

Chá de maça e canela com Tom Jobim.

Chocolate quente com Chopin.

Orquídeas na janela. Chuva de madrugada e você.

Poesia sem cansar. Dedos gelados no cobertor.

Pôr do sol. Palhaço infeliz. Sorriso de criança. Morte. Vida.

Borboletas. Vestidos amarelos.

Chá de amora e Bethoven.

A neve…

Café com palavras. Viajar sem rumo.

Flores do campo. Morrer de Saudades. Canções melódicas.

Chá de Alfazema com Vinicius de Moraes.

Vestidos rodados. Rodopiar até cair. Estrelas cadentes. Luas cheias. Nuvens em montanhas.

Chá de Anis estrelado com Leo Fressato.

Cícero e eu  no apartamento.

Fotografia.

A banda que quis ser a mais bonita da cidade, lendo um livro na calçada.

A pianista. Desenhos de balões. Sábados. Maio. Natal.

Notas em um violoncelo.

E finalmente, você.

Eliane Santos

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Quando não há mais forças….

há certos lugares em nossas vidas que guardamos sem qualquer cerimonia.

Posso dizer que é nosso lugar sagrado, nossa cabana velha ou nosso esconderijo secreto. Todos nós, em nossa infinita humanidade temos este espaço. Não importa se estamos na presença de pessoas ou estamos sozinhos sempre vamos a este lugar quando precisamos. Pois é nele que encontramos tranquilidade neste mundo sem amor, gentileza, caridade…

Lá pode não haver todas estas coisas, mas é certo que haverá um silêncio bom.  Porém devo mencionar que se você estiver com a consciência cheia de pesadelos não encontrará sua paz, não importa quantos lugares “especiais” você crie, sempre haverá os monstros a te atormentar, se seus atos não forem corretos e honestos.

Lutar contra monstros muitas vezes pode ser penoso, pode trazer feridas que só poderá ser cicatrizada com o tempo. Com o processo do perdão de si mesmo, com a ajuda do amor.

Já lutei batalhas em que não fui vencedora, já travei lutas em que quase sai sem vida, mas hoje percebo que na realidade eu quis isso. Eu quis morrer, quis perder, quis parar de lutar.  Chorar pode não consertar as coisas, ou amenizar a situação mas alivia um pouco o desespero e a insanidade da alma amargurada.

Mas quero lembrar que não importa qual dificuldade teremos que enfrentar, ou a luta que vamos batalhar, sempre deve ter em mente que ao final de cada luta, não importando se venceu ou perdeu deve-se erguer e começar tudo de novo. O processo é penoso e cansativo, mas jamais podemos nos entregar, jamais podemos esquecer quem somos, de onde viemos, nossa história. Somos vencedores desde o momento em que fecundamos, desde o momento em que nascemos.

Sou uma vencedora, e devo dizer isso todos os dias. Não para ego, mas para poder lembrar sempre que jamais posso me deixar render diante das dificuldades.

Minha mãe conta que meu nascimento foi um milagre. Nasci há 28 anos atrás. Naquela época a medicina não era como hoje. As mulheres sofriam muito para ter filhos. E no dia do meu nascimento minha mãe teve várias complicações, por eu ter sentado ao invés de ficar na posição correta para nascer. Eu não queria nascer.  O Médico que estavam acompanhando o parto foi até meu pai e pediu para que ele escolhesse entre minha mãe e eu. É claro que era minha mãe.

Mas havia algo especial, sei que havia. Minha mãe conta que houve um momento que ela pensava que iria morrer. Ela estava sozinha no quarto quando um médico entrou segurou sua mão e disse que tudo ficaria bem, que nada ruim iria acontecer. Ele mexeu na barriga dela, como se fizesse uma massagem, depois disso ela entrou em trabalho de parto, depois de tantas horas sentindo dor. Quando finalmente nasci, ele me pegou nos braços, entregou para minha mãe e disse: “É uma menina linda e forte!

Depois disso ele foi embora, ninguém soube quem era este médico, minha mãe quis saber quem era,deu todas as características dele mas ninguém o conhecia ou o tinha  visto. O médico que estava acompanhando o parto havia se ausentado, pois havia várias outras mulheres dando a luz. Conta ela que até ele se assustou pois se houvesse outro médico ali ele saberia. Depois que ela contou esta história, eu perguntei quem ela achava que era. Ela me respondeu que com certeza era um anjo de Deus. Eu jamais duvidei disso, e carrego esta historia com amor, pois sei que este amor se perpetua e toda vez que me deixo abater por alguma situação eu me lembro deste momento. E me pergunto se é mesmo necessário ser menor que aquela dificuldade.

Você pode não ter uma história como essa, mas com certeza a sua é mais bela e melhor, por que é sua história e ninguém pode mudar isso. Ninguém pode tirar isso de você. Algumas pessoas acham que pode ser maior que outras pessoas, pelo simples fato delas terem um conhecimento elevado ou dinheiro. Mas saiba que ela jamais terá algo que com certeza você tem. Fé!

Fé, de que você pode acordar amanhã e fazer algo melhor pela sua vida. Fé de que você pode abrir os olhos neste instante e querer ser alguém melhor, alguém com mudanças que podem trazer mudanças aos outros. Fé no que você quer ser, fé na sua profissão. Fé de poder sair amanhã e arrumar um emprego melhor, pois suas habilidades são melhores do que imagina. Fé de dizer ao seu namorado que é preciso viver o respeito e o amadurecimento mútuo. Fé de poder mudar sua família. Fé de realizar coisas que ao seu ver são impossíveis.

Digo que tudo é possível quando se tem Fé, e ela é complexa para os que não acreditam e, tão simples para aqueles que creem que Deus pode realizar maravilhas.

As pessoas que não acreditam no seu poder de mudança, e luta, acabam se entregando, cometendo o maior ato de violência contra si mesmo. E acabam com suas próprias vidas sem ao menos tentar.

Quanto a mim e você lutemos para que o impossível aconteça todos os dias.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

A menina que pintava sonhos

girl-swinging-from-a-cloud_23-2147496185

Tardes de frio e calor, sempre foi assim quando se tem você por perto.

É chuva com sol, é chá com limão.

Seu olho verde e o outro azul.

Me encanta teu andar.

Seus dedos pequenos agarrados as cordas do violão…

Seu longo e florido vestido azul, que baila ao vento.

As longas noites a vigiar o céu, aguardando uma estrela cadente.

Ou o sorriso de canto que se apresenta quando te olho e me desfaço.

As velhas lembranças, o livro empoeirado, a estante vazia, o beijo roubado.

Tudo é você.

Tudo foi você.

Tudo isso só é bom ou faz sentido se tiver tuas danças ao sol,

ou tua voz no meio das tulipas.

Fui feliz por alguns instantes, e toda vez serei feliz quando fechar os olhos e ver você.

Sem medo de viver. Sem pressa pra sonhar, e com aquele sorriso ao acordar.

Tudo isso foi você.

Tudo em mim só lembra você.

E tudo em você sou eu, e eu sou você e os sonhos são mais felizes quando

você for minha realidade.

Eliane Santos

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

A última dança

09

Dança a bailarina, dança leve e suave.

Escorre o suor do esforço dado.

Escorre a vida, as certezas e incertezas.

Via-se o medo, o desespero em cada passo em cada peso.

O peso da dor e da saudade.

Ela dança com orgulho e vivacidade.

Ela dança com  amor e sutilidade.

Sem amargor, com fé e vontade.

Ela salta para a vida, e corre para o abismo que sempre

existiu, e salta como se assas tivesse, e voasse sem saber que

aos poucos o abismo a consumia.

Eliane Santos

Publicado em Sem categoria | 1 Comentário

Coração quando quer

1209718_84380950Quis um momento a dois…Quis tardes de inverno com tuas fantasias e chocolate quente de companhia.

Quis os risos descontraídos, e as faces avermelhadas das tardes ensolaradas…

Quis os amores e os rumores, as tentativas incertas e os beijos emoldurados.

Quis tuas mãos quentes, deslizando só mais uma vez nas minhas, somente para poder sentir novamente aquele aquecer desesperado do coração.

Quis teus risos apaixonados, a tua poesia arcaica e o teu jeito incerto de lidar com as palavras.

Quis a culpa de te deixar partir, e quis as lembranças, e quis o amor, e te quis, só pra fazer bem ao coração.

 

Eliane Santos

Publicado em Poema | Deixe um comentário